Sistema de ensino finlandês: estágios e características

O sistema educativo finlandês tem como seu principal objetivo para oferecer a todos os cidadãos a igualdade de oportunidades para receber educação de qualidade. A ênfase na educação está no aprendizado, e não em testes ou exames.

Não há testes nacionais para estudantes no ensino básico. O único exame nacional é realizado no final do ensino médio. Normalmente, a admissão no ensino superior é baseada nos resultados deste exame e nos exames de admissão.

Sistema de ensino finlandês: estágios e características 1

A educação na Finlândia é uma das mais bem-sucedidas do mundo, não possui propinas e suas refeições são totalmente subsidiadas. A estratégia finlandesa para alcançar a igualdade e a excelência na educação baseou-se na construção de um sistema escolar abrangente, financiado com recursos públicos.

Parte da estratégia tem sido espalhar a rede escolar para que os alunos tenham uma escola perto de suas casas. Se isso não for possível, é fornecido transporte gratuito. A educação especial inclusiva na sala de aula e os esforços instrucionais para minimizar o fraco desempenho também são típicos dos sistemas de educação nórdicos.

Outra de suas características mais marcantes é que os alunos não são obrigados a fazer a lição de casa após o horário escolar, para que possam dedicar tempo à socialização e atividades de lazer.

À primeira vista, se vemos sua estrutura, ela pode se assemelhar à de qualquer país; no entanto, o que a diferencia dos outros é sua maneira de conceber o aluno e o corpo docente.

Quais estágios educacionais compõem o sistema educacional finlandês?

Como a maioria dos sistemas educacionais, o finlandês é composto de acordo com o Ministério da Educação (2008) para educação pré-escolar, educação básica (ensino fundamental e médio) e ensino médio (que inclui treinamento técnico) e o terciário (formado por universidades e politécnicos).

Educação obrigatória

As crianças estão matriculadas no ensino obrigatório ou básico aos sete anos de idade, que dura nove anos, o ensino fundamental cobre seis e o ensino médio três.

Durante este período de treinamento básico, as crianças serão treinadas em diferentes disciplinas que as prepararão para treinamento adicional.

Ao contrário de outros países, a educação pré-escolar não é obrigatória, mas é concebida como um direito de oferecer uma posição no berçário (Instituto Internacional de Abordagens Educacionais, 2007).

Ensino médio

Quando terminarem o ensino básico, continuarão seus treinamentos no ensino médio.

É considerado não obrigatório e divide-se em dois: o geral, com duração de três anos (composto por um exame final) e o de formação profissional, com duração de três anos, que dá acesso à prática (OCDE, 2003 no Instituto Internacional de Abordagens Educacionais, 2007).

Ensino superior

O ensino superior é oferecido em universidades e politécnicos. Se você deseja acessar o ensino superior, deve fazer um exame final no ensino médio ou nos estudos básicos de formação profissional.

Embora a aprovação neste tipo de exame seja credenciada para ingressar no ensino superior, cada instituto pode usar os testes necessários para selecionar os alunos. Por fim, observe que os diplomas de graduação e pós-graduação podem ser obtidos. (OCDE, 2003 no Instituto Internacional de Abordagens Educacionais, 2007).

Relacionado:  Avaliação diagnóstica: características, instrumentos

Quais idiomas são falados?

Na Finlândia, existem duas línguas oficiais: finlandês e sueco. Portanto, ser oficial receberá treinamento e usará ambos em todos os níveis do sistema educacional.

A seguir, como um esquema, apresentamos a Estrutura do Sistema Educacional Finlandês:

Sistema de ensino finlandês: estágios e características 1

Fonte: Ministério da Educação, 2008

Caracteristicas

À primeira vista, pode parecer-nos que é um sistema educacional como os outros. Qual é então um dos mais eficientes e eficazes, de acordo com o relatório do PISA? (OCDE, 2006 em Enkvist, 2010). Aqui estão algumas das características que tornam esse sistema educacional concebido como um dos melhores do mundo (Robert, 2007).

Alunos

Aqui estão as características bem-sucedidas da educação finlandesa em termos de estudantes:

1- A importância do aluno contra a aquisição de conhecimento.

O sistema educacional finlandês caracteriza-se por entender que um aluno que é feliz na sala de aula e se sente à vontade, pois é livre para aprender no seu próprio ritmo, aprenderá o conhecimento necessário mais facilmente.

2- Um ambiente acolhedor

O Sistema Educacional Finlandês entende que os alunos precisam se sentir em casa quando estão na escola. Ou seja, sua prioridade é oferecer continuidade entre eles e, para isso, suas instalações são condicionadas a favorecer esse sentimento.

Os espaços de trabalho são confortáveis, os corredores são decorados com o trabalho das crianças e até as cores são quentes. Como as escolas geralmente não são muito grandes, o tutor e o diretor conhecem seus alunos.

A relação entre professores e alunos é familiaridade e respeito. Os professores estão motivados e procuram ajudar seus alunos a aprender. Eles também podem aplicar multas que variam de meia hora de relaxamento para a criança que teve um mau comportamento até a suspensão de três meses.

3- Conteúdo adaptado ao ritmo da aprendizagem

Como em muitos sistemas educacionais, antes de entrar no estágio obrigatório, ele já se destina a despertar nas crianças habilidades como curiosidade. Somente de manhã e de forma atraente.

Se uma criança não acompanhar o resto dos colegas de classe, terá a oportunidade de aprender cedo (6 anos) e, mesmo com a permissão dos pais, poderá deixá-la até os 8 anos de idade em educação não obrigatória até que Pronto para aprender a ler.

Nenhuma criança pode repetir o curso, pois é proibido por lei; embora isso possa acontecer excepcionalmente. Para evitar isso, grupos de crianças com essa dificuldade são criados e até enviados para auxiliar na aula.

O cronograma é projetado para respeitar os ritmos biológicos. Quando a escola obrigatória termina, aos 16 anos de idade, as sessões duram 45 minutos e são combinadas com períodos de descanso de 15 minutos nos quais os alunos podem fazer o que quiserem.

4- Detecção precoce de necessidades educacionais especiais

O sistema educacional finlandês caracteriza-se por possuir um sistema capaz de detectar qualquer distúrbio ou dificuldade na aprendizagem. Desde tenra idade no ensino não obrigatório, os alunos passam por vários testes para detectar um problema na sua aprendizagem, se houver.

Relacionado:  10 Dinâmica da Criatividade para Crianças e Adultos

Se sim, essas crianças frequentam a escola primária em aulas especializadas, com uma proporção de cinco alunos e professores especializados no mesmo centro que as outras crianças.

No caso de problemas menores, a inclusão total da criança é feita com todos os meios necessários para esse fim. Os professores especializados estão em todos os centros.

5- Uma taxa de aprendizado apropriada

No estágio obrigatório (primário e secundário), o número de alunos por turma não excede 25, embora a norma seja que não deva haver mais de 20. Ao contrário de outros países, existem assistentes educacionais que ajudam o professor principal com ambos. material como os alunos que apresentam necessidades educacionais especiais.

No ensino médio, há um orientador para 200 alunos. Isso permite que você atenda a todos de maneira eficiente e eficaz. Todos presentes no mesmo centro e devem ser visitados duas vezes por ano por cada aluno.

6- Alunos motivados

Os alunos geralmente trabalham em equipe ou sozinhos. Enquanto o corpo docente, como outro recurso, se dedica a motivá-los a participar e permanecer ativo nas atividades que realizam.

Os centros se destacam por ter estantes cheias de livros, além de projetores, computadores, televisões … Os alunos são constantemente incentivados a usar tudo o que podem para construir conhecimento.

7- Liberdade de escolha

Na Finlândia, os estudantes podem escolher progressivamente e em relação à sua maturidade. Na educação básica, por exemplo, o idioma que você deseja aprender ou disciplinas opcionais ou opcionais.

Eles podem escolher seu treinamento, desenvolvendo sua autonomia e o senso de responsabilidade em relação aos estudos. Essa ampla autonomia da qual os alunos do ensino médio se beneficiam os prepara para novos treinamentos.

8- Sistema de avaliação que motiva

Os alunos não são avaliados usando números ou notas. Aos 9 anos, é verdade que eles passam por uma avaliação, mas isso tem as características descritas acima. Então não há avaliação até 11 anos.

Portanto, como não há avaliações, cada aluno pode aprender no seu próprio ritmo, sem tensão. A Finlândia optou pela curiosidade que caracteriza as crianças, portanto, avaliar seria um erro.

As notas aparecem como 13 anos de idade e são mantidas usando as notas 4 a 10. Em alguns níveis, há exames a cada seis semanas. A avaliação é, portanto, orientada pela avaliação do que o aluno sabe, do que estimula e motiva o aluno.

Faculdade

Depois de vermos como a Finlândia enfrenta a educação de seus alunos, veremos as chaves do sucesso de seus professores:

9- Profissão socialmente valorizada

Embora o trabalho na educação seja tão remunerado quanto em outros países europeus, a profissão de professor é altamente valorizada pela sociedade.

Esse respeito surge devido à importância que o país atribui à sua educação e ao sentimento de que os professores são especialistas. Os professores sentem que estão a serviço das crianças, então há uma motivação inicial.

Relacionado:  Inteligência cinestésica: características e exemplos

10- Seleção rigorosa

São consideradas as competências disciplinares e teóricas, mas também o conceito de educação que eles treinaram em seu ofício, além do conhecimento que têm sobre a infância.

Os professores em sala de aula, além de terem experiência como assistentes por três anos, devem fazer um exame de matrícula. Uma vez que eles tenham, eles poderão aparecer na faculdade de educação que escolherem. Posteriormente, eles passarão por diferentes testes e entrevistas.

Professores especializados em uma matéria devem obter um mestrado em uma disciplina e estudar pedagogia por um ou dois anos. Para entrar na universidade deve passar nos mesmos testes que os anteriores.

Quando eles já possuem o diploma, precisam encontrar um emprego e, para isso, os municípios são responsáveis ​​pelo recrutamento junto aos centros. Tanto os diretores quanto os comitês participantes podem influenciar a decisão com base em seus projetos e necessidades.

11- Materiais didáticos de qualidade

O corpo docente tem à sua disposição uma gama de materiais prontos para uso em suas salas de aula. Ao contrário de outros países, as aulas são confortáveis ​​e amplas, equipadas com material multimídia.

12- Liberdade de ensinar

Os professores finlandeses têm autêntica liberdade pedagógica, além de autonomia para ensinar. Portanto, eles são motivados no seu dia a dia.

13- Relacionamento com universidades

O corpo docente está associado à universidade, pois eles participam do treinamento de estudantes que estão sendo treinados como professores e até mesmo intervêm na universidade, se necessário.

14- Reciclagem contínua

Os professores são treinados regularmente para dar uma educação de qualidade aos seus alunos nas escolas. Esse treinamento pode ser de sua própria vontade ou sugerido pelos diretores dos centros através do diálogo.

Além disso, o Estado realiza programas de treinamento em serviços em áreas necessárias ou de grande importância.

Os profissionais também podem solicitar financiamento para melhorar seu treinamento. Pelo que foi dito acima, os educadores são entendidos como uma parte importante da educação, de modo que é dada importância especial à sua formação (Ministério da Educação e Cultura, 2013).

Referências

  1. Robert, P. (2007). Educação na Finlândia: os segredos do sucesso incrível. Tradução de Manuel Valdivia.
  2. Giménez Gracia, F. (2009). A floresta educacional finlandesa. Algumas chaves para o sucesso da Finlândia no PISA. Cadernos de Pensamentos Políticos, 23.
  3. Enkvist, I. (2010). Sucesso educacional finlandês. Bordon Revista Pedagogia, 62 (3), 49-67.
  4. Ministério da Educação e Cultura. (2013). Educação finlandesa em síntese. Ministério da Educação e Cultura.
  5. Ministério da Educação. (2008). Educação e Ciência na Finlândia. Universidade de Helsinque.
  6. Instituto Internacional para Abordagem Educacional. (2007) Professores como base de um bom sistema educacional. Descrição da carreira de treinamento e ensino na Finlândia.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies